Logo Univle

Publicado em UNIVALE - Faculdades Integradas do Vale do Ivaí (www.univale.com.br)

Imprimir Voltar

Alunos do 10º semestre de Direito da Univale são recebidos pelo comandante da Polícia Militar de Ivaiporã

A coordenadora do Emajuri (Escritório Modelo de Assuntos Jurídicos) da Univale – Faculdades Integradas do Vale do Ivaí, Lucidalva Maiostre, e os acadêmicos do 10º semestre de Direito realizaram uma visita técnica a 6ª Companhia Independente de Polícia Militar de Ivaiporã, na quinta-feira, dia 27 de outubro.

Lucidalva Maiostre e os acadêmicos foram recebidos pelo comandante, major Laércio Sagati, e pelo 1º tenente Vinícius de Moraes Castro, que ministrou uma aula sobre a Polícia Militar, incluindo explicações acerca da fundação no Estado do Paraná, estrutura da 6ª Companhia Independente de Polícia Militar, que atende 14 municípios da região, e os procedimentos do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), que é o registro de um fato tipificado como infração de menor potencial ofensivo.

O tenente Vinícius Castro também mencionou como é desempenhada cada função, bem como é aplicada a justiça militar. Em seguida, conduziu a coordenadora do Emajuri e os acadêmicos para uma demonstração de armamentos, que estavam sem munições.

Os armamentos foram demonstrados pelo 2º tenente Anderson e pelo soldado Cláudio, que integra a equipe da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel) de Ivaiporã. Ambos explicaram que as armas e munições são usadas conforme a situação exige.

Lucidalva Maiostre explicou que faz parte do regulamento do curso de Direito a realização de visitas técnicas em instituições públicas. Além disso, integra a carga horária. “Durante 5 anos os acadêmicos têm teoria associada à prática, que não se resume ao atendimento oferecido no Emajuri, onde eles realizam o estágio curricular obrigatório e prestam assistência jurídica gratuita à população economicamente carente”, esclareceu Lucidalva Maiostre, informando que recentemente foi realizada visita técnica ao 1º Subgrupamento Independente do Corpo de Bombeiros e, em breve, será visitada a 54ª Delegacia de Polícia Civil de Ivaiporã.

Segundo Lucidalva Maiostre, dessa forma, os acadêmicos entendem como trabalham os policiais militares. “Independente de advogar ou tentar concurso público é muito bom para o aluno conhecer de perto a Polícia Militar”, justificou Lucidalva Maiostre.

O major Sagati considerou importante o contato entre a Polícia Militar e os acadêmicos que poderão ser operadores do Direito, após a conclusão do curso. “É interessante que os alunos conheçam a nossa estrutura, tipos de armamentos usados e como é o nosso trabalho”, exemplificou o major.

Alguns acadêmicos aceitaram o desafio de sentir os efeitos do gás lacrimogêneo. Trata-se de uma arma de efeito moral que provoca irritação nos olhos, pele e nas vias aéreas enquanto estiver exposto ao produto. Mas eles não aguentaram mais que poucos segundos e consideraram válida a experiência.

Em seguida, o major Sagati ofereceu um coquetel à coordenadora do Emajuri e aos acadêmicos, que agradeceram e aplaudiram pela receptividade.

Major Sagati dá as boas-vindas à coordenadora do Emajuri, Lucidalva Maiostre, e aos acadêmicos
Major Sagati dá as boas-vindas à coordenadora do Emajuri, Lucidalva Maiostre, e aos acadêmicos
Tenente Anderson, soldado Cláudio e tenente Vinícius Castro explicam utilização de armamento
Tenente Anderson, soldado Cláudio e tenente Vinícius Castro explicam utilização de armamento
Marina Sartóri confere peso do Fuzil 556 sem munição
Marina Sartóri confere peso do Fuzil 556 sem munição
Publicado em: 31/12/1969